​Almeida Prado Cadeira n° 15
Patrono ​Carlos Gomes
Fundador Lorenzo Fernandez
     
1° Sucessor 2° Sucessor Acadêmico atual


José Antonio Resende de Almeida Prado nasceu em Santos, São Paulo, a 08 de fevereiro de 1943. Estudou piano com Dinorah de Carvalho, harmonia com Osvaldo Lacerda e composição com Camargo Guarnieri. Despontou como compositor em 1969, ao conquistar o primeiro prêmio no I Festival de Música da Guanabara, com a cantata Pequenos Funerais Cantantes, sobre texto de Hilda Hilst. Do júri internacional que premiou sua obra faziam parte, entre outros, nomes como os de Guerra-Peixe (Brasil), Fernando Lopes Graça (Portugal), Franco Autori (Estados Unidos), Hector Tosar (Uruguai), Roque Cordero (Panamá), Johannes Hoemberg (Alemanha) e Krzysztof Penderecki (Polônia).

Com o prêmio, oferecido pela Secretaria de Educação e Cultura do Estado da Guanabara, partiu para a Europa onde, após uma breve permanência em Darmstadt para trabalhar com Gyorgy Ligeti e Lukas Foss, passou a residir em Paris para estudos com Nádia Boulanger e Olivier Messiaen.

Ao retornar ao Brasil assumiu a direção do Conservatório de Música de Cubatão. Em 1974 foi nomeado professor de composição da Universidade de Campinas, da qual foi diretor do Instituto de Artes entre 1981 e 1987. Na UNICAMP defendeu tese de doutorado, tendo como objeto de estudos suas Cartas Celestes para piano. Manteve por vários anos programa de música contemporânea na Rádio Cultura de São Paulo.

Ao longo da carreira recebeu inúmeros prêmios como os da Associação Paulista de Críticos de Arte, da Boston Fonsdation (1973) pela Sinfonia no1, Prêmio Independência do Brasil (1972) com a peça Trajetória da Independência, Prêmio Nacional da Música do Ministério da Cultura (1995) e primeiro prêmio no IX Concurso de Composição Frances Civil, de Girona, Espanha (1996). Recebeu, em 1997, encomenda da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro para a composição da Fantasia para violino e orquestra por ocasião da visita do Papa João Paulo II ao Brasil. Para o Ministério da Cultura escreveu Cartas Celestes no8 Oré Jacy-Tatá, para violino e orquestra, em comemoração aos 500 anos do Brasil em 2000. Da Fundação Vitae recebeu, em 2001, bolsa para a composição do Concerto no2 para piano e orquestra.

Seu catálogo de obras é volumoso e abrange diversos gêneros e formações. Além das citadas podem ser mencionadas, para coro e orquestra, o oratório Therèse ou l’Amour de Dieu (1986), a Paixão segundo Marcos (1967)o Ritual para sexta-feira santa (1966)a cantata Bendito da Paixão de Jesus de Nazaré, o oratório Villegaignon ou Les Isles fortunées. Das obras sinfônicas destacamos a Abertura Cidade de São Paulo (1981), Abertura Cidade de Campinas, os Arcos sonoros da catedral Anton Bruckner, a Sinfonia dos Orixás (1986), a Sinfonia Apocalipse (1987), Exoflora, Cantus Creationis, Estigmas, para orquestra de cordas. Entre as obras concertantes citamos as Variações Concertantes, para marimba, vibrafone e cordas e o Concerto Fribourgeois, para piano e cordas (1985). Para piano solo compôs vários cadernos das Cartas Celestes (1974-1985)Rosário de Medjugorje (1987), Rios, de inspiração ecológica, além de sonatas, sonatinas, canções, obras corais e música de câmara.

Almeida Prado faleceu na cidade de São Paulo, em 21 de novembro de 2010.
Rua da Lapa, 120/12º andar - Lapa - 20021-180 - Rio de Janeiro - RJ / Brasil
Telefones (55) (21) 2292-5845 / 2221-0277 / 2242-6693
Copyright 2015 - Academia Brasileira de Música - www.abmusica.com.br - Todos os Direitos Reservados