​Alexandre Levy Cadeira n° 29
Fundador ​Samuel Arcanjo
     
1° Sucessor Acadêmico atual
Compositor, pianista, regente e crítico musical, Alexandre Levy nasceu em São Paulo, capital, em 10 de novembro de 1864 e faleceu prematuramente na mesma cidade, em 17 de janeiro de 1892. Era filho do clarinetista francês Louis Levy, radicado em São Paulo desde 1860 e fundador da Casa Levy, um dos principais comércios de música da época. Luís Henrique Levy, seu irmão três anos mais velho, e seu pai foram seus iniciadores na música. Seu professor de piano parece ter sido o pianista francês radicado em São Paulo Gabriel Giraudon, antes de estudar com o pianista russo Luis Maurice. Sua estreia como pianista foi aos oito anos de idade. Seu talento foi amplamente reconhecido, tendo sido mesmo comparado a Mozart por críticos musicais de seu tempo. A importância da Casa Levy e a popularidade de seu pai propiciaram-lhe contato direto com todos os músicos paulistas importantes, e com todos aqueles que iriam apresentar-se naquela cidade. Em 1882, Alexandre e Luís Levy tocaram em Buenos Aires.

Desde 1880, diversas obras suas para piano começaram a ser editadas na Europa. Em 1883, foi feito diretor de concertos do Clube Haydn, importante sociedade paulista de concertos. Em 1885, atuou como regente pela primeira vez, em concerto deste mesmo Clube Haydn. Em 1887, viajou para a Europa, tendo estudado em Paris com Émile Durand e Vincenzo Ferroni. Ao final deste mesmo ano retornou a São Paulo, onde iniciou trabalho de crítico musical na imprensa. Algumas de suas composições desta época já seguem clara tendência nacionalista. É o caso de duas obras para piano, o Tango Brasileiro e as Variações sobre um tema popular brasileiro, onde usa a melodia da famosa canção “Vem cá, Bitu”, e da Suíte Brasileira, onde, no último movimento, intitulado Samba, utiliza elementos da música rural paulista. Outras obras de Levy, por sua vez, seguem claramente as características da música romântica austro-germânica, como os poemas sinfônicos Werther e Comala, a Sinfonia em mi menor, o Trio em si bemol e diversas obras para piano, como o Romance sem palavras op.4, o Allegro Appassionato op.14 e as Schumannianas, para piano.
 
Rua da Lapa, 120/12º andar - Lapa - 20021-180 - Rio de Janeiro - RJ / Brasil
Telefones (55) (21) 2292-5845 / 2221-0277 / 2242-6693
Copyright 2015 - Academia Brasileira de Música - www.abmusica.com.br - Todos os Direitos Reservados