​Alceo Bocchino Cadeira n° 37
Fundador João Itiberê da Cunha
     
1° Sucessor Acadêmico atual


Alceo Ariosto Bocchino nasceu em Curitiba, no Paraná, em 30 de novembro de 1918. Teve participações em festivais, em sua cidade natal, desde os cinco anos de idade, como pianista. Mais tarde, estudou com João Peck. Graduou-se no Conservatório Paranaense de Música. Ainda em seu estado natal formou-se em Direito em 1939 e foi professor da Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Transferiu-se para São Paulo, onde estudou com Dinorá de Carvalho, Eleazar de Carvalho e Camargo Guarnieri. Foi professor do Conservatório de Santos e pianista e arranjador das rádios Difusora, Tupi e Record.

Em 1946 se estabeleceu no Rio de Janeiro, onde estudou com Tomás Terán e Francisco Mignone. No mesmo ano foi contratado pela Rádio Mayrink Veiga para compor música incidental para programas e novelas. Trabalhou nas mesmas funções nas rádios Tupi e Nacional. Na Rádio MEC foi pianista do Trio formado com Ancelmo Zlatopolsky (violino) e Iberê Gomes Grosso (violoncelo), com o qual gravou inúmeras obras para a tradicional formação, com destaque para o repertório brasileiro.

Como regente foi titular das orquestras Sinfônica Brasileira (1959 a 1964) e Sinfônica Nacional (1964 a 1970). Foi maestro emérito da Orquestra Sinfônica do Paraná. Com a Sinfônica Nacional realizou inúmeras gravações para a Rádio MEC, com destaque para a série Música na Corte Brasileira, lançada pelo selo Angel/Odeon. Outra gravação importante foi a do Concerto Romântico e da Brasiliana no6, de Radamés Gnattali, com o próprio compositor como solista. Sua carreira internacional se desenvolveu em concertos com orquestras de Portugal, Espanha, Holanda, Bulgária e Estados Unidos.

Lecionou na Academia Lorenzo Fernandez e na Escola de Música Villa-Lobos, assim como nos Festivais Internacionais de Música do Paraná e nas Oficinas de Música de Curitiba. Recebeu o título de Cidadão Honorário da cidade do Rio de Janeiro e Cidadão Benemérito do Estado do Paraná.

De sua obra podemos destacar a Sinfonia “Um poema para Lapa” (2001), a Suíte Miniatura (1954), a Serenata Suburbana, a Suíte Brasileira, para violoncelo e piano, um Quarteto de cordas, canções e peças para piano solo.

Faleceu no Rio de Janeiro, em 07 de abril de 2013.
Rua da Lapa, 120/12º andar - Lapa - 20021-180 - Rio de Janeiro - RJ / Brasil
Telefones (55) (21) 2292-5845 / 2221-0277 / 2242-6693
Copyright 2015 - Academia Brasileira de Música - www.abmusica.com.br - Todos os Direitos Reservados