Paulino Chaves Cadeira n° 9
Fundador Paulino Chaves
     
1° Sucessor 2° Sucessor Acadêmico atual


Pianista, compositor, regente e professor, Paulino Lins de Vasconcellos Chaves nasceu em Natal, Rio Grande do Norte, a 26 de junho de 1883. Fez os primeiros estudos em Belém, Pará. Foi iniciado na música por sua mãe e pela professora Idalina França. Aos 8 anos, compôs a mazurca Saudades de uma rosa. Em 1896, por ocasião da morte de Carlos Gomes, escreveu uma Marcha Fúnebre em homenagem ao mestre. Iniciou brilhante carreira de pianista ainda na adolescência.

Estudou no Real Conservatório de Leipzig, na Alemanha, em dois períodos, entre 1899 e 1902 e entre 1913 e 1914, onde estudou com Robert Teichmüller (piano), Salomon Jadassohn e Paul Quasdorf (harmonia, contraponto, fuga e composição). Enquanto estudante do conservatório recebeu, em 1902, o prêmio Mozart Stipendium pelo primeiro lugar no concurso de piano. Retornando ao Brasil, em 1903, foi nomeado professor do Instituto Carlos Gomes de Belém (PA), que veio a dirigir mais tarde.

Veio pela primeira vez ao Rio de Janeiro em 1908 onde, em 03 de agosto,  abriu o programa do terceiro concerto da Exposição Nacional, como solista do Concerto para piano no1 em mi bemol, de Franz Lizst, regido por Alberto Nepomuceno. No mesmo ano excursionou por Natal, Recife e Belo Horizonte se apresentando como solista e regente.

Em 1910, partiu para Manaus, tornando-se catedrático da Escola Normal do Amazonas.

Ali ficou até 1913, quando voltou a Leipzig para um ano de estudos de aperfeiçoamento. No retorno ao Brasil, voltou a fixar residência em Belém, onde criou diversas instituições musicais como o Centro Musical Paraense (1915) e o Coro de Santa Cecília (1916). Em 1918 criou o Quarteto Beethoven, para a difusão da música de câmera.

É desta época a estreia da Missa solene em honra de São Luís e da Missa de Santa Joana d'Arc, cantada na Basílica de Nazareth na festa da canonização de Santa Joana d'Arc. Ainda em Belém concluiu sua Sinfonia em mi menor. Em 1927, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde continuou sua intensa atividade artística. Foi nomeado professor do Instituto Nacional de Música. Apresentou-se como solista, mais uma vez com o Concerto para piano e orquestra, de Liszt, com a Orquestra do Instituto Nacional de Música em 1929. Faleceu no Rio de Janeiro, a 31 de julho de 1948.

Em 2010 a pesquisadora Lúcia Maria Chaves Tourinho lançou a biografia intitulada Maestro Paulino Chaves: dando vida ao artista e o catálogo de obras do compositor, com a inclusão de diversas partituras editadas.  
 
Rua da Lapa, 120/12º andar - Lapa - 20021-180 - Rio de Janeiro - RJ / Brasil
Telefones (55) (21) 2292-5845 / 2221-0277 / 2242-6693
Copyright 2015 - Academia Brasileira de Música - www.abmusica.com.br - Todos os Direitos Reservados