Domingos Moçurunga Cadeira n° 11
Fundador Savino de Benedictis
     
1° Sucessor Acadêmico atual
Compositor e professor, Domingos da Rocha Viana nasceu em Salvador, Bahia, em 20 de janeiro de 1807 e lá faleceu em 29 de fevereiro de 1856. Iniciou-se como músico de banda da Guarda Nacional. Foi condecorado por sua participação na Guerra da Independência, em 1822. Ferido em combate próximo do engenho Moçurunga, adotou-lhe o nome como lembrança. Aos 20 anos já lecionava música e em 1830 era professor de latim e português no Colégio São Pedro de Alcântara. Em 1833 fez concurso para as cadeiras públicas de música e de latim, sendo nomeado catedrático da primeira e substituto da segunda. Lecionou, ainda, na Academia de Música, sociedade que funcionou em Salvador de 1830 a 1836, e da qual participaram Damião Barbosa de Araújo e José Pereira Rebouças. Com a criação do Liceu Provincial, em 1837, ocupou a cadeira de música. No mesmo ano envolveu-se na Sabinada, rebelião de caráter republicano em Salvador, e foi preso, depois julgado e absolvido.

Nessa época compôs os versos e a música do Hino da revolução. Já era então um dos mais conceituados músicos de sua terra e em 1838 teve obra sua executada no Rio de Janeiro, no Teatro São Pedro de Alcântara, em concerto que reuniu aberturas sinfônicas de mestres da escola baiana. Em 1839 foi reintegrado nas funções de catedrático de música. Em 1846 apresentou à assembleia provincial um projeto sugerindo a criação de um conservatório de música em Salvador. Foi poeta e publicou anonimamente versos satíricos. Um dos primeiros autores brasileiros a escrever obra pedagógica musical, publicou um Compêndio musical, em Salvador, em 1834 (2ª ed., como "Novo compêndio de música", Salvador, 1846; nova ed., como "Artinha Moçurunga", Salvador, 1905).

Como compositor deixou diversas peças sacras, entre as quais um Te Deum, escrito em 1841, para a coroação de Pedro II, as Novenas de Nossa Senhora e do Senhor da Cruz, nove Missas, Credos, Ladainhas. Na música instrumental são conhecidas três Aberturas. Autor da letra e música do dueto bufo A Negra do munguzá, encenado várias vezes em Salvador com êxito, compôs diversas quadrilhas, valsas e o lundu Onde vai o sr. Pereira de Morais. Foi fecundo autor de modinhas.
Rua da Lapa, 120/12º andar - Lapa - 20021-180 - Rio de Janeiro - RJ / Brasil
Telefones (55) (21) 2292-5845 / 2221-0277 / 2242-6693
Copyright 2015 - Academia Brasileira de Música - www.abmusica.com.br - Todos os Direitos Reservados