Cândido Ignácio da Silva Cadeira n° 10
Fundador Octavio Maul
     
1° Sucessor Acadêmico atual

O compositor e cantor Cândido Ignácio da Silva nasceu por volta de 1800. Sua naturalidade é incerta. Manuel de Araújo Porto Alegre, seu contemporâneo, afirmou ser mineiro. Já o pioneiro editor de música Pierre Laforge, também seu contemporâneo, a ele se refere em anúncio nos jornais do Rio de Janeiro como um jovem e estimável compositor fluminense. Sua formação musical se deu no curso do Padre José Maurício Nunes Garcia. Seu instrumento era a viola para cujo naipe na orquestra da Capela Imperial solicitou ingresso em 1827, ou então alternativamente, no coro na voz de tenor. Foi um destacado cantor e assumiu as partes solistas de diversas obras de seu mestre, como a Missa de Santa Cecília. Como tenor solista participou de diversos concertos a partir de 1824, onde se apresentava cantando árias e trechos de óperas.

A partir da década de 1830 seu nome aparece também como compositor. Suas Variações para corneta de chaves e orquestra foi tocada por Desidério Dorison, em 1837. No mesmo ano os músicos Francisco da Mota, João Bartolomeu Klier e Antônio Xavier da Cruz apresentaram outro conjunto de variações escritas para flauta, corne-inglês, clarineta e orquestra. Suas últimas obras foram um Hino das Artes, apresentado no Teatro Constitucional Fluminense e 12 valsas para piano, editadas por Laforge.

Como compositor de modinhas e lundus Cândido Inácio da Silva foi considerado por Ayres de Andrade um dos mais inspirados e originais de quantos músicos brasileiros se consagraram ao gênero no século XIX. São dele algumas das mais célebres e executadas entre as modinhas de seu tempo, como Quando as glórias eu gozei e Busco a campina serena. Mas é com o lundu-canção com texto de Manuel de Araújo Porto Alegre intitulado Lá no Largo da Sé que a importância de Cândido Inácio da Silva pode ser reconhecida. Mário de Andrade, em extenso artigo publicado na Revista Brasileira de Música, considerava essa pequena peça um dos marcos históricos mais notáveis do gênero e de importância acentuada na evolução da música brasileira.

Teve vida relativamente breve, tendo falecido em 1838.
Rua da Lapa, 120/12º andar - Lapa - 20021-180 - Rio de Janeiro - RJ / Brasil
Telefones (55) (21) 2292-5845 / 2221-0277 / 2242-6693
Copyright 2015 - Academia Brasileira de Música - www.abmusica.com.br - Todos os Direitos Reservados